curso-basicodepid-03

Objetivos: Apresentar os conceitos básicos de controle clássico e metodologias de sintonia de PID

Público-Alvo: Profissionais envolvidos em atividades de projeto e implantação de sistemas de controle de processo de plantas industriais; profissionais envolvidos na operação e monitoração de plantas industriais. Estudantes de engenharia e escolas técnicas.

O mercado: O controle clássico realizado por PID constitui a base dos sistemas de controle de uma planta industrial. O bom desempenho dessas malhas de controle podem representar economias no uso de sistemas de utilidades e garantia do ponto operacional esperado no projeto da unidade. Para esse bom desempenho, a estratégia de controle e a sintonia desses controladores é etapa importante na partida e operação da unidade.

Áreas de  interesse/afinidade: Operadoras e projetistas de plantas industriais, fornecedores, integradores e implantadores de sistemas de controle e automação.

Local: Rio de Janeiro
Estrutura do curso: 
16 horas

Programa Técnico:
– Noções básicas de transformada de Laplace
– Sistemas de primeira ordem com tempo morto
– Sistemas Integradores
– Controle em realimentação negativa
– Controle antecipatório
– Métodos para identificação de processos
– Estratégias de controle básicas: controle em cascata, controle em razão, controle em override, controle em faixas, compensador de tempo morto split range
– Algoritmos PID existentes no mercado: posicional X incremental, interativo X não interativo, série X cascata
– Conceitos de ganho (banda proporcional) tempo integral (reset) e tempo derivativo
– Estratégias complementares de automação para malhas de controle
– Metodologia para sintonia de PID: Métodos em malha aberta (Ziegler Nichols, Cohen Coon, 3C, CHR. Métodos da integral, método síntese direta) e métodos em malha fechada (Relés, Seaborg)

Professor: Perez
Empresa: Petrobras

Qualificação dos Instrutores:
Engenheiro eletrônico formado pela UFRJ, com mestrado em Engenharia Química pela USP e doutorado em Engenharia Química pela COPPE.  Atua na área de automação, instrumentação e controle de processos desde 1986. Nos primeiros anos de vida profissional trabalhou na área de turbinas e compressores nas plataformas da Bacia de Campos. Em 1994 foi transferido para a ENGENHARIA BÁSICA onde atua, desde essa data, na área de projeto básico, comissionamento, partida assistida e assistência técnica às unidades de operação da Petrobras.  Membro da comissão de instrumentação do IBP. Instrutor de instrumentação e controle nos cursos da Universidade Petrobras.